sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Sonhar você



Minhas pálpebras cansadas
de sonharem você
abraçaram a madrugada
com afã adolescente.
Sinto-te léguas distante
mas meu peito palpita seu cheiro
numa fagulha desse desejar intenso
que atinge as lonjuras
da ilusão
e me deixa aqui
com os pés no firmamento
e os ouvidos perdidos
órfãos da sua voz
ao som da madruga
(silêncio).

E as pálpebras me dizem,
agora,
já ser tempo de voltar ao leito
e sonhar você.

Um comentário:

LUZ disse...

Que desejo!
Longe e querendo perto.
Sonhe, sonhe, sempre.

Beijo.