domingo, 4 de novembro de 2012

Patience




Pouco importa o seu silêncio
os não-olhares,
os não-jeitos,
os não-ditos.
Patience!
A vida vai se revelando
assim mesmo,
a mesma e diversa
para além do esquecimento,
do não-silêncio,
do não-você.

E assim você me ensina
por entre não-olhares
e esses não-sorrisos
de menina
a ter mais que desejos.
 

Patience!

2 comentários:

LUZ disse...

Sucinto, indireto, melodioso, racional e sentimental.

Há um ano, que não aparecia, mas PACIÊNCIA.

PS: ainda não retitou a palavra super esquisita e o número, que temos de digitar, quando deixamos comentário?
O Dr. anda mesmo muito atarefado!

Pedro Camilo disse...

Pois é, querida. Faltou-me, nesses meses, a Luz da inspiração. Mas parece que ela voltou. Vou ver, depois, essa coisa das letrinhas... Aquele abraço!!!